sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Minha Ceia!


O Pão é servido, sobre a mesa ...
Fui ... convidado! 
... e vejo o tratamento!
Assim como a mim fazem, 
farão aos demais?

Nossa ... que diferença da minha casa.
A minha também tem mesa ...
... mas a minha toalha eu a estendo sobre o chão !
... esse é meu Cc/orpo, a pele que estendo !

... e quem dela se reveste?
Melhor: quem disse que reveste?
... e se ... a quem: ao nu?
...
Pelo menos as migalhas que caem ...
...
...
...

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Aurora

...
[solo]
...


Ei, você ...
Ah!


Trêmulo ...
... e sem controle algum, 
perdido em Mim ...
... por Ti ... 
Porque tudo é por Ti
... então ...
... arrebento a tranca ...  
... sem conversa nesse instante
Essa não é aqui,
e sim ... no Templo ...
Interiores [Teu e meu] ...
... em que ninguém vê ...
... pela neblina ... [Is 6.4] ... 
... ninguém sabe aonde é ...
... o caminho ... [Is 4.5] ..
e tropeçam ...
... em seus meios  
... seus significados,
... o nosso,
a não ser ... 
eu e você ... *


Meu Amor é estranho, 
Porque Amo a todos, por igual!
É verdadeiro, mesmo,
nas lágrimas da minha solidão ...
e ... convoco Deus p'ra história? 
Que conversa ...


De que Forma posso convocar, 
Quem se apresenta a si mesmo, 
e clama, em estrondo , 
pelos seus 4 cantos:*
... vai, quebra tudo
... então ... 
... olha p'ra mim 
... só isso!
Mas olha com os olhos ...
Do Coração!


Olha p'ra quem te olha ,
dessa mesma Forma
... te procura, 
e você sequer nota 
... sequer imagina ... mas sabe 
... de um jeito que só eu sei, 
e mais ninguém ...
... ninguém ...
... ninguém ...
perde o controle igual a mim
... por Ti ... 
e você sabe disso, 
... porque sente o que eu sinto ...
... treme, pelo que eu tremo ...
... no que Se geme
um pelo sussurro do outro!
Atados pelo vento da idéia
... Suspiro em Temporal


Só nós dois, e mais ninguém, 
... sabemos a história, não é?
Nossa ... dava pra escrever quantas
... Alexandrias ... heim?
Ainda bem que ... jamais ... 
... nos atrevemos a filosofias ...
Porque a nossa, 
já é o atrevimento em si, 
então ... p'ra quê, 
se eu e você já sabemos a tal da ...
história ... 
... das madrugadas ... 
pelo que nasce ...
se fortalece ...
... e frutifica?


Tira essa mão do queixo, vai!
... tá segurando ele por quê?
... boquiabriu, é? 
Tá sonhando acordada com o infinito?
E você acha que eu sonho com o quê?


Você é o meu infinito ... 
Você mesma,  
e não há outra !
Parece até que não sei ...
... ou acha que só você ...
... tem o direito de sonhar?


Ficar filosofando?
Quem nisso fica ... 


Eu também sonho ...
... sinto ...
... choro ...
Porque te adoro!

... também clamo ...
... grito, 
... berro, reclamo ...
Porque Te Amo!
.
mas falo ... falo ... e falo ...
... o que devo falar ... 
... p'ra você; 
só p'ra você!
Porque é por, e p'ra você,
... que eu Tremo ...
... sem controle algum!


Sem filosofias!
... pelo custo do vão tempo 
da vileza que acarretam!
causam ... 
implicam ...
levam ...
principiam!


Até que o coração
... vem na boca! 
Então ... 


... tira a mão do queixo ... vai,
e deixa o coração saltar ... 
p'ra fora ...
... Pelo Tempo que é!
Ou você pensa o quê ... 
quando pensa?


Infinitos?


De que me adiantam estes,
sem você ao meu lado?
Porque infinitos, sem amor ...


da mesma maneira que:
trabalhar para aquecer
vale mais morrer de frio ...
o que eu arremato aqui,
por troca de sussurros?


Ei, você...
É isso aí !

...

...

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Espadachim

Escrito em 02/02/11 sob muita tristeza, p/ causa de constantes email's e telefonemas indesejosos que recebia diariamente por postar fotos de pobreza e miséria no Orkut e Face, e amizades que [nunca foram] se desfaziam como névoa .. até que fechei a pág. do Orkut. Mantenho a música original do link de partilha: Canta Minh'alma! Basta clicar com o direito do mouse, abrir em uma nova guia, e ouvir enquanto lê o poema!

...

...

Por favor, eu vos peço: sem Lágrimas:

não são por elas que o caso se dá, aqui!
Qual, e a quem, há 'exclusividade'?
Na Verdade, a todos!
Assim penso, mesmo sabendo que assim não é,
mas ... o que posso fazer, se assim sou? 
Porque a pena da minha língua por meus dedos
É descerrada como por 'espada desembainhada',
e decepa a tudo que se encontra à minha frente, 
sem que eu algo meço , senão o momento, e ...
A alma de cada um ...
em minha 'cegueira' ...
pelo meu coração!


as minhas estão em primeiro plano,
... alma e cegueira ... 

pois de mim, é que parte a ceifa ... 
de mim, e em mim ... a da nudez:
sim ... a da nudez da solidão do momento, 
por imagem refletida no espelho, em ti ... 
da noss'alma ... à frente ...
E é uma solidão de silêncio infinito,
sobre todos [que estão] ao redor ...
almas ... e almas ...
em aguardo ...


A todos escrevo ...
Em que, cada um
se revela como por espelho, em mim,
E ... Meu Deus ... 
Deu-me Graça para erguer a espada pelo próximo, e,
Se assim é, e é, então, de que Forma me sustento,
Pelo que escrevo, a todos ... 
como se 'por um', somente ... 
... em infinito, solene?


O caso, é que 'amizades', verdadeiras , 
não se compram nem se barganham , 
porque se reconhecem a si , e portanto 
não nos deixam, por exclusividade alguma , 
seja esta a da Confusão , ou ...
o que aparentar ... por 'reflexão' ...
... por esta não se deixa levar!
Compreende o seu momento de busca ...
na solidão do seu encontro ...
... insubstituível!
E aqui está a beleza à que me propus!


Mas às vezes é necessário que isto ocorra ,
a nossa própria ceifa ...
Para que outras se apresentem , 
Sem Confusão!
E, quiçá, as que deixem de ser ,
Compreendam a Cidadania do Espelho [?]
Se assim for , Me verá Nela
no que Se verá em Mim!
E Verá que sempre se deixam rastros ... 
no que se olha para os seus próprios ... pés!


compreenderá assim, que, pela Graça,
a minha exclusividade a ninguém pertence,
Senão que eu não sou mais do que sou, em mim,
Nela e por todos os que me têm por mero ... 
... responsável ... 
e simples ... 
Mercador de palavras !
Verdadeiras
Em sua beleza
de


Espadachim

...

...

sábado, 14 de maio de 2011

Fala!

Publicado em 02/02/11 e repassado em 14/05/11 sob o The Sad Dream

...


...

... Voz ... 
... Eco ...
... em ...
Turbilhão ...


por águas da maré .

Do 'mar' que não se vê ... 
mas encharca ... 
Ensopa pela música
essa , que me tolhe a Alma,
Em e por todos os meus sentimentos ,
E só me escuta ,
quem é capaz de me compreender ...

...

Simplesmente fico .. sem chão , 
com o som desse sussurro ...
Da mesma Forma que fico sem chão 
por palavras ...
Ainda que estas inexistam ,
E as que são ,
Não se sustentem por si !

E de que música falo , 
... senão da Tua Voz ?
Voz ... voz que sois vós ...
... em eco ...
Eu o ouço nas paredes do Meu Templo ...
E de pronto , tudo se restabelece, e ,
não pensei que se daria novamente ...

...

Que responsabilidade ...
Na Verdade , dela corri ,
mas ... me alcançou ,
e zune ...
.. zune ...
.. zune ...


...

E , por qual motivo eu corri ?
Porque eu sabia que este dia chegaria
e eu estaria à tua frente , 
e de todos os demais ,
de joelhos ,
feito um mendigo
implorando pelo pão da vida
que não é mendicância , 
pois nunca o concedi desta forma !

Na Verdade
A estrutura desta muralha estremece ...
À Tua simples presença ... 
e quem a sente ?
Quem , a compreende ?
Quem a ouve ?

...

De onde vem ... 's,
Tu
ó Voz que és , 
sois 'vós'?

És parte de Mim , 
por isso Te ouço !
Sim ; eu Te ouço
ainda que isto não aches ...
E é fácil , assim pensares , mas ... 
não ! Não Te enganes , 
porque só Te ouço ,
E sei que Tu , não imaginas isto !
... e o que imaginas ?
me pergunto ...
por migalhas no chão .

...

Não sabes de onde vens , 
nem para onde vais ...
És como o vento , 
Tempestade em seu caminho ,
Que, ... por onde passa, ...  a tudo revolve , e ,
Sequer se incomoda pelo estrago que causou ...
Porque não tem consciência da voz que é ...
Voz , que sois vós ... !!!

...

!!! Tu ,
Que de novo ...
Falas ... 
e falas ...
e falas ...

...

E sopras ...
e sopras ...
e sopras ...
Feito Temporal ...
Que és ...

...
...

domingo, 17 de abril de 2011

Iguais

Publicado em 01/02/11 e repassado em 17/04/11

...

...

Sou Teu igual: senhor de mim ... 

em e por meus atos!
Nem mais, nem menos ...
Tenho os mesmos anseios e, 
pasmem ... 

estou debaixo das mesmas condições ...
... aqui neste 'jardim'!


E o que faço, aqui ...
Será que busco ... ou procuro por algo?

O quê ... em um jardim ... ?
Jardim ... que jardim ?

Assim o dizem, não é ... ?
Jardim ... ?


...

É ... Jardim, isto é que é !!!
E aqui me enviaram para nele 'trabalhar' ...
...


Quem trabalha em um Jardim? Só Quem sabe!

Assim como só trabalha na vinha, Quem sabe!
Revirar a terra, qualquer um pode fazê-lo,
mas ... 
Nem todos o fazem ...
Sequer são chamados a tal, ou ...

Sequer se prestam a tal serviço,
e se ... dão 'cabo' !!!



E assim é, 

por todos os trabalhos que se apresentam,
mas ... 
Qual o meu trabalho aqui,
se sou igual a Ti ...
será que sou ? .. 
Não creio :
Te sou infinitamente inferior,
e por isto, aqui estou!

Lavro o Jardim da Tua Alma
pelo que Te podo com palavras, e,

Para que isto se desse
me foi confiado entregar-me a mim...
Por mim mesmo,
minha vontade

minha consciência ...
à Terra!



Nela, cada gota de suor que empreendi no aprendizado,

Hoje, uso no que revolvo,
adubo e podo a tudo que se apresenta!

E não é fácil, isto, porque há de se ser 'justo', e nisto ...
Que responsabilidade quanto a 'ranking de caráteres' ...
Meu Deus ... o que faço eu ?


Nada; absolutamente 'nada' !

Não podo caráteres !
Mas testemunho o meu , por Ti ...
Porque Te sou infinitamente inferior !!!


...

...

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Em Mim

Publicado em 29/01/11 e repassado em 01/04/11
Link ao vivo - Fanatismo!...

...

...

[Parte I]

Ainda que [eu] não saísse de mim,
Em meu lugar, mesmo, me encontraria em ti,
Pelo que a minha alma se faz, e,
Ainda que não compreendas uma,
Sequer uma palavra que deixei de te dizer.

Ainda que penses que te estribas na distância,
Essa a mim inexiste, por em mim estar em ti,
Pois a distância me é nada, 
'bisolutamenti' nada, pois não estás em ti,
E sim em mim ...

Mas assim não entendestes, e,
Se o contrário foi, deixou-se sê-lo, por si mesmo
E, por contrários serem por si mesmos,
Seus próprios princípios ... e fins ...
Eu em mim, por ti, inicio e findo a tudo.

E o faço, sempre pelos erros das certezas
Que só por contrários são, em mim, por ti,
Por entre todas as certezas e incertezas
Que em si mesmas aqui se assentam em mim!
Por ti ...

E aonde é que não se assentam, em nós?
Devias saber ... não me tocastes ... 
A pele ... dizes tu, porque assim pensas,
Pelo que pensas ser ... sem saber ...
Pois tudo foi tocado, e tu o sabias.

Trono dos Tronos tudo se arrebentou,
E prostrado me apresentando a Ti,
Coisa que não precisava o fiz, por cumprir,
... e o cumpri ... frente a todos!

O que me valeu me foi a Verdade,
que me sustentou por alimento de jejum,
No que não crestes, até que vistes,
Mas nada enxergastes
Porque não te vistes, a ti ...

[Parte II]

E que confiança terias em mim,
se assim não fosse?
E a tens?
Diz-me: desde quando?
O caso, é que me lancei por terra,
e nisto, que caso fiz de mim ... 
[Is 50.5-7]
de rastros? ... 


Por ti, o fiz ...
Talvez me fosse melhor o silêncio
do jejum de que tem as costas por pagamento:
e que bela paga ... [Is 51.22-23]
só quem a recebe, sabe ... [Jr 30.14]
Mas disto não fiz caso pelo que senti;
pela Verdade que derramei em Ti.

Por este motivo, sou eu mesmo a falar, e não outro ...
Sem vazão aos recados pelo vento que a tudo 'dissipa'.
Inspiração e expiração das marcas por cicatriz
no que te estão à frente da lembrança,
mas as da minh'alma, não as vês;
e não as vês, porque não enxergas,
e nisto, nunca estivestes por mim.

Não são necessárias explicações nem perdões,
pois este não é o meu alimento neste jejum,
senão somente o meu amor por mim mesmo [Is 63],
e isto, ainda que tu não o permitas, mas ...
Que faço eu ?
Pedra de cantaria como calçada nisto!


Me preocupo com o eco deste silêncio?
Por acaso ouves a secura do coração ?
Ou vês o sangue que vazou do lado,
pelo que reconheces no vento o seu aroma?
O aroma agora é pelo que se assenta.
Está pelo Fundamento!

...

...