domingo, 27 de fevereiro de 2011

Campal !

...

Tenho carregado uma árvore , sem raiz , 
[exposta] ... por estandarte , e dias ,
E dela vejo todas as suas folhas caírem ,
... e caírem ... ,
... e caírem ...
Como se eu fosse capaz de dar ordem às estações o estanque ,
Mas não o posso ,
ainda que me pertença a parte ,
mas não o quinhão !

Se o contrário fosse ,
Decerto que as deteria,
e não mais cairiam .

Que vergonha a minha , pois ,
capacidades se apresentam às claras
e não no torpor do engano ...
... no enlace de seu enredo ...
Pois é assim que me sinto :
Enlaçado e enredado por todos, pelo que sou.


Sim : pelo que sou em mim, por todos ,
Assim quanto a todos , serem , em mim ;
E essa é a minha dor , pois aqui ,
capacidades se fundem à consciência ,
e esta ... ah !
Esta procura , mas não acha , por mais que tente , saída ...
Ainda que a minha própria reflexão seja este Êxodo ,
em sua Gênese ...
De um êxtase único baseado na liberdade que a Verdade proporciona !
E é tão simples isto ,
que a própria em si ,
inunda pelo que inspira .

Ah ! Será que todos têm essa mesma ânsia ...
Ou a deixaram pelo caminho ?



Pois é ; disto é que me envergonho [quanto a mim] ,
pelo que o confesso .
Talvez não o devesse ,

mas a flâmula me foi confiada , e posta por bainha ...
Tal qual um batedor ,
não me pus atrás da coluna , e sim à frente .
Nunca , em tempo algum , jamais
retirei a minha face do meirinho , calabouço ...
Fosse por rascas ou por rusgas , nunca tornei atrás ,
A não ser em meu erro e ,
Quem sabe , ou pode afirmá-lo,
Que não o é Hoje , aqui , este ?

Se assim é ,
Estou tão acostumado a estar errado frente às certezas de todos ,
Que às vezes penso não ter-me sido entregue
o estandarte correto ...
!!! ...
Sim ... chego a pensar isto , constantemente ...
E quem é que me muda ?
... a visão , ... a compreensão ,
... quanto às certezas ... e incertezas ... ?

Na Verdade , estas é que solapam a tudo por vendaval ,
E arremetem est'as folhas
que caem desta insígnia
neste campo ,
À face de toda a tropa que , por bem ou mal,
Aqui estão no front ,
E servem-lhes de consolo por companhia em testemunho
Do eco ...

Do sussurro ...
Que clama no silêncio da solidão da batalha :


'Cá estamos , Meu senhor !
Homem ... Meu Igual' !


...

11 comentários:

  1. Fantástico. Mi agradecimiento a Henrique por darnos a conocer la buena poesía y la buena música, que son la misma cosa.

    ResponderExcluir
  2. Ameiiii!!! Amigo, meus parabéns!! Gostei mesmo a parte que mais gostei foi" Ah ! Será que todos têm essa mesma ânsia ...
    Ou a deixaram pelo caminho ?"

    Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  3. Rui Gabriel de Azevedo14 de mar de 2011 23:54:00

    Nossa, Primo; que é isto que você está escrevendo? Você está abrindo a sua boca , não é? Parabéns! Não tenho mais o que falar aqui!

    ResponderExcluir
  4. Profundo e belo dizer a relatar a sua própria transparência...cuja magnitude se faz ímpar!!!
    Essa ânsia de se fazer melhor só se faz presente nos seres realmente evoluídos e cuja sensibilidade vive à flor da pele!!!
    Enlaçado se sinta sim mas pelo seu lindo poetizar...pela sua infinita capacidade de se expressar e assim nos presentiar!!!

    ResponderExcluir
  5. BOA TARDE HENRIQUE,OBRIGADO PELO CARINHO...GOSTEI MUITO DO SEU POEMA QUE RESOLVI COMPARTILHAR.... NÃO ME LEVE A MAL,UM BEIJINHO DE LUZ E CARINHO,BOM FIM DE SEMANA....

    ResponderExcluir
  6. Hoje, 04/11/2014, este post recebeu acerto final de link's, p/ back-up geral.

    ResponderExcluir
  7. Meu senhor ! .. Meu Igual' .. foram linkados em 25/11/2015.

    ResponderExcluir
  8. http://www.tudocelular.com/windows/noticias/n80966/battlefield-1-disponibilizado-venda.html

    ResponderExcluir
  9. http://www.tudocelular.com/windows/noticias/n80239/gameplay-30-minutos-battlefield-1.html

    ResponderExcluir
  10. http://www.tudocelular.com/windows/noticias/n80063/battlefield-1-modo-diretor-trailer.html

    ResponderExcluir