sexta-feira, 1 de abril de 2011

Em Mim

Publicado em 29/01/11 e repassado em 01/04/11
Link ao vivo - Fanatismo!...

...

...

[Parte I]

Ainda que [eu] não saísse de mim,
Em meu lugar, mesmo, me encontraria em ti,
Pelo que a minha alma se faz, e,
Ainda que não compreendas uma,
Sequer uma palavra que deixei de te dizer.

Ainda que penses que te estribas na distância,
Essa a mim inexiste, por em mim estar em ti,
Pois a distância me é nada, 
'bisolutamenti' nada, pois não estás em ti,
E sim em mim ...

Mas assim não entendestes, e,
Se o contrário foi, deixou-se sê-lo, por si mesmo
E, por contrários serem por si mesmos,
Seus próprios princípios ... e fins ...
Eu em mim, por ti, inicio e findo a tudo.

E o faço, sempre pelos erros das certezas
Que só por contrários são, em mim, por ti,
Por entre todas as certezas e incertezas
Que em si mesmas aqui se assentam em mim!
Por ti ...

E aonde é que não se assentam, em nós?
Devias saber ... não me tocastes ... 
A pele ... dizes tu, porque assim pensas,
Pelo que pensas ser ... sem saber ...
Pois tudo foi tocado, e tu o sabias.

Trono dos Tronos tudo se arrebentou,
E prostrado me apresentando a Ti,
Coisa que não precisava o fiz, por cumprir,
... e o cumpri ... frente a todos!

O que me valeu me foi a Verdade,
que me sustentou por alimento de jejum,
No que não crestes, até que vistes,
Mas nada enxergastes
Porque não te vistes, a ti ...

[Parte II]

E que confiança terias em mim,
se assim não fosse?
E a tens?
Diz-me: desde quando?
O caso, é que me lancei por terra,
e nisto, que caso fiz de mim ... 
[Is 50.5-7]
de rastros? ... 


Por ti, o fiz ...
Talvez me fosse melhor o silêncio
do jejum de que tem as costas por pagamento:
e que bela paga ... [Is 51.22-23]
só quem a recebe, sabe ... [Jr 30.14]
Mas disto não fiz caso pelo que senti;
pela Verdade que derramei em Ti.

Por este motivo, sou eu mesmo a falar, e não outro ...
Sem vazão aos recados pelo vento que a tudo 'dissipa'.
Inspiração e expiração das marcas por cicatriz
no que te estão à frente da lembrança,
mas as da minh'alma, não as vês;
e não as vês, porque não enxergas,
e nisto, nunca estivestes por mim.

Não são necessárias explicações nem perdões,
pois este não é o meu alimento neste jejum,
senão somente o meu amor por mim mesmo [Is 63],
e isto, ainda que tu não o permitas, mas ...
Que faço eu ?
Pedra de cantaria como calçada nisto!


Me preocupo com o eco deste silêncio?
Por acaso ouves a secura do coração ?
Ou vês o sangue que vazou do lado,
pelo que reconheces no vento o seu aroma?
O aroma agora é pelo que se assenta.
Está pelo Fundamento!

...

...

8 comentários:

  1. Joyette Daud 02 de abril às 03:16 - Facebook -
    Olá ! Acabei de ler o poema, gostei muito ! Em Mim, mostra as cicatrizes de um sentimento não vivido em cumplicidade, mas na solidão da alma. Parabéns, Henrique.
    Eu não consigo comentar no blog, quando eu clico em " comentários " abre uma página para enviar e-mails para amigos ". Fique à vontade para publicar lá por mim os meus comentários ! Abraços & Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Palavras que transmitem o SER o SENTIMENTO que depositas no fundo de Ti. É para ler e reler...Um Abraço Enorme...Um Abraço que dê e receba tudo quanto a distância não quebra...

    ResponderExcluir
  3. Rui Gabriel de Azevedo4 de abr de 2011 01:18:00

    'Ainda que eu não saísse de mim,
    Em meu lugar mesmo eu me encontraria em ti,
    Pelo que a minha alma se faz e,...'

    'Yet I did not leave of me,
    In my own place I would find myself in thee
    So... what my soul is made of, and ...'

    Que é que eu posso falar aqui, Henrique?
    Talvez a falta de um 'that', ou de um 'what' depois do Yet?
    Mas é exatamente a falta destes que deixa a entrada em suspense na eternidade;
    e por conseguinte, todo o texto em profusão!
    Talvez, um 'me', no 'I, in me, for you', ou 'for thee'...

    E falo isto de cadeira, porque sou professor de Inglês!
    Parabéns pela tradução. 'just way'!
    Publica logo isso, homem. Abraços!

    ResponderExcluir
  4. 'Pedra de cantaria como calçada nisto': que é isso, Henrique?
    A frase não tem respiração. Wow: está aos pés, e não por desdém..
    com certeza que foi por um motivo muito grande e, de tão grande,
    descreve-se a si mesmo ... sem dar chances à respiração!
    Então ... Parabéns!

    ResponderExcluir
  5. Demais esse Poema,vc tem o dom HG. obrigado por compartilhar

    ResponderExcluir
  6. Wow, My Friend 4eyes ... /havn't words.
    'm crying. Thk u , wmy heart, man!
    Jennyngs

    ResponderExcluir
  7. Texto muito profundo realmente mostrando seu dom para a escrita!!!Na minha visão revela a necessidade da alma em fazer do seu "ser" algo que realmente acrescente a humanidade e isso lhe provoca uma inquietude gritante à medida que se confunde com tantos caminhos colocados a sua frente!!!

    ResponderExcluir
  8. Hoje, 04/11/2014, este post recebeu acerto final de link's, p/ back-up geral.

    ResponderExcluir