sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Da Travessa

...
...

          I Visão - [01/01/2014]!


          Me vi numa rua antiga, como se fosse o entorno de um mercado [ou feira popular]. Eu queria ir à Av. Superior, a qual já conhecia o caminho e vi travessas para acessá-la mais facilmente; logo uma senhora surgiu e falou : 'Vê; ao meio destas ruas, após a curva que há mais à frente, ao meio da subida, colocam empecilhos [às vezes barricada ou carro quebrado], a praticarem furtos : tenhas os olhos abertos.'.


          Pque as travessas eram distantes, entrei na 1ª ; logo, os que lá estavam viram que eu não pertencia ao lugar e me acompanharam à distância, aparentando seguir o rumo Superior ; após subirmos um pouco surgiu uma bifurcação de caminhos ermos: o da esquerda, soturno, lusco-fusco, e ao vê-lo, me desvencilhei pela direita, uma via por uma pinguela que levava a um vilarejo. Ali, havia uma espécie de feira e jogatina de copos e cartas, ao que me quiseram tomar o dinheiro que estava no bolso ... [e assim foi, porque lá estava o que podia estar].


          De repente, acordei e compreendi o aviso espiritual da parábola do atalho que se apresentava por empecilho à Forma da minha escrita. Vi os aparentes, e o motivo da ação, que não vingou, pois Minh'Alma aqui está [Lc 21.19], de Forma clara em acordo a Isaías 50.6 : 'Ofereci as costas aos que me feriam e as faces, aos que arrancavam os cabelos ; não escondi o rosto aos que me afrontavam e me cuspiam.' ... em que a clareza se apresenta na Net, aos olhos de todos - de sorte que a possam ver e compreender, neste Jubileu ...


          Ora : direita e esquerda são opostos que não são, senão dantes iguais, e, por assim ser, minha Solidão está mais que clara em Meu Espírito, sem que me fie em direitas ou esquerdas espirituais : 'Olhei, e não havia quem me ajudasse, e admirei-me de não haver quem me sustivesse; pelo que o meu próprio braço me trouxe a salvação, e o meu furor me susteve.' Is 63.5.


...

...

Nenhum comentário:

Postar um comentário